A LITERATURA COMO MEDIADORA NA APRENDIZAGEM DA LEITURA

                                           Kesley Mariano da Silva[1]

Simone Aparecida de Jesus[2]

Sirlene Aparecida de Jesus[3]

RESUMO

A Leitura é um dos Direitos de Aprendizagem que devem ser garantidos a toda criança e tem papel relevante em sua formação para agir na sociedade e para participar ativamente de todas as situações que encontra em seu dia a dia, na escola, nas ruas, bancos, etc. Para a aprendizagem de qualquer disciplina, de qualquer profissão ou simplesmente para se deslocar de um ponto a outro, é importante o domínio da leitura. Razão pela qual fica óbvio que todos têm que aprender a ler. Porém não é o que acontece com todos os alunos. Há sérias dificuldades na aquisição da leitura, que os programas e projetos instituídos pelos governos não conseguem sanar e que tem se tornado uma grande preocupação não só de professores. Nesse sentido se faz necessário entender como se dá esse processo e o que pode auxiliar o aluno nessa difícil tarefa de aprender a ler.

PALAVRAS-CHAVE: Leitura; Literatura; Direito; Educação; Aprendizagem

ABSTRACT

Reading is one of the Learning Rights, which should be guaranteed to all children and has a role in its formation to act in society and to actively participate in all situations found in their daily lives, at school, on the streets, banks, end others. For learning any subject, in any profession or simply to move from one point to another, the field of reading is important. That is why it is necessary that everyone has to learn to read. But it is not what happens to all students. There are serious difficulties in the acquisition of reading, that programs and projects set up by governments can not heal and that has become a major concern not only of teachers. In this sense it is necessary to understand how this process takes place and which can assist the student in this difficult task of learning to read.

KEYWORDS: Reading; Literature; Right; Education; Learning.


[1] Kesley Mariano da Silva. Graduação em Letras: Português/Inglês – UEG; Graduação em Direito – FMB; Especialização em Docência do Ensino Superior – FINOM; Mestrado em Educação – UNIESA; Em doutoramento – Saint Alcuin of York.

[2] Simone Aparecida de Jesus. Graduação em Letras Português/Inglês – PUC/GO; Graduação em Pedagogia – UNIFAN; Especialização em Formação de Professores em Língua Portuguesa – PUC/GO; Especialização em Psicologia dos Processos Educativos – UFG; Em processo de Mestrado em Educação – UFG.

[3] Sirlene Aparecida de Jesus. Graduação em Matemática – PUC/GO; Graduação em Pedagogia – UNIFAN; Especialização em Docência do Ensino Superior – UEG.

POR QUE LITERATURA NEGRA E NÃO AFRO-DESCENDENTE?

                                          Luiz Renato de Souza Pinto[1]

RESUMO

A proposta deste artigo é fazer uma reflexão mais aprofundada sobre o caldeirão de etnias que compõem a cultura brasileira. Selecionamos leituras que costuram um histórico da escravidão, como também do tráfico negreiro, tendo como base Conrad (1985), associadas ao processo de socialização de negros em território brasileiro via Chagas (2014). A valorização da beleza negra nos foi apresentada por intermédio de duas obras significativas para o trabalho, sendo: Braga (2009) e Gomes (2008). A representação do negro na literatura brasileira veio de Conforto (2006) e Vital (2012). As questões relativas ao empoderamento negro, da cultura de resistência escrava e visões estereotipadas na cultura nacional completam essa representação crítica tomando como ponto de partida o livro de Cuti: “Literatura Negro-Brasileira” (2010) que serviu de base para pensarmos este mosaico. Enfim, nos utilizamos de algumas obras não canônicas para demonstrar um caminho de mudança para a representação étnica na literatura brasileira.

PALAVRAS-CHAVE: Literatura; Negritude; Educação.

ABSTRACT

This article aims to promote a deeper reflection about the cauldron of ethnic groups that compose Brazilian culture. We selected readings that stitch together a history of slavery, as well as slave trade, based on Conrad (1985), associated with the process of Black People socialization in Brazilian territory by Chagas (2014). The Black beauty valorization was presented to us by two significant works: Braga (2009) and Gomes (2008). The Black people representation in Brazilian literature came from Conforto (2006) and Vital (2012). Issues related to black empowerment, culture of slave resistance and stereotyped visions in the national culture completed this critical representation. The starting point was Cuti. Book (2010) that served as a basis for thinking about this mosaic. We used some non-canonical works to demonstrate a path for changing ethnic representation in Brazilian literature.

KEYWORDS: Literature; Negritude; Education


[1] Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Doutor em Literaturas de Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho (UNESP).