A TRADUÇÃO E A NÃO LITERALIDADE DO TRADUTOR

Kesley Mariano da Silva[1]

Lorrayne Martins da Silva[2]

Resumo

O conceito de tradução literal e livre é uma controvérsia antiga na nossa história debatida por diversos teóricos. Ao pesquisar sobre o que é realmente ser “fiel” ou infiel” na tradução, este artigo tem como objetivo identificar nos dias de hoje, o que deverá ser levado em conta no ato de traduzir, valorizando tanto os fatores metalinguísticos quanto extralinguísticos. A pesquisa buscou alguns fatos históricos da história da língua e de como a comunicação ocorre. Logo, tratando de comunicação, se há ou não interferência nesse processo. Deste modo, compreender o sentido de literalidade e não literalidade a partir de um olhar integrado.

Palavras-chave

tradução. tradutor. tradução literal. tradução não literal.

Abstract

The concept of literal and free translation is an ancient controversy in our history debated by various theorists. When researching what is really “reliable” or “unreliable” in translation, this article aims to identify what should be taken into account in the act of translating, valuing both metalinguistic and extralinguistic factors. The research sought some historical facts of the history of language and how communication occurs. Therefore, dealing with communication whether or not, there is interference in this process. In this way, understand the meaning of literality and not literality from an integrated look.

Keywords

translation. translator. literal translation. free translation.

Texto completo


[1] Graduação em Letras: Português/Inglês (UEG/2007); Graduação em Direito (FMB/2009); Especialização em Docência do Ensino Superior (FINOM/2012); Mestrado em Educação (UNESA/2016).

[2] Graduação em Letras: Português/Inglês (UNIFAN/2018).